My Carts


My Beatport

Log in to start using My Beatport!

My Beatport lets you follow your favorite DJs and labels so you can find out when they release new tracks. Log in or create an account today so you never miss a new release.

Create an Account
You're not following anyone yet!

My Beatport lets you follow your favorite DJs and labels so you can find out when they release new tracks. So go follow someone!

View My Beatport

My Artists View All


My Labels View All


Durante aproximadamente dois séculos os africanos foram reduzidos pelos brancos europeus a inferiores, bárbaros e selvagens. A colonização – acompanhada absurdamente por um discurso "civilizatório", pela violência e o racismo – os destruiu física, ontológica e "epistêmicamente". A partir da década 60 impulsionado pelos movimentos como pan-africanismo fundando por pensadores como Du Bois e Kwame Nkrumah e negritude fundado por Aimé Césarie e Léopold Senghor, a África começa gradualmente o processo de independência colonial. Até a década 90, estimulado pelo avanço dos movimentos nacionalistas e guerras de resistência colonial, África se torna na sua totalidade "colonialmente independente". Mas será que somos realmente independentes? "África liberta-te" remete-nos – através do Ritmo Arte e Poesia e seguindo a perspectiva crítica e desconstrucionista da escritora moçambicana Paulina Chiziane, uma das grandes referências da iteratura africana – a uma refexão profunda sobre essa questão. "África liberta-te" parte de dois princípios; primeiro, que a relação dominante-dominado, superior-inferior, civilizado-bárbaro ainda caracteriza a estrutura geopolítica e "geoepistêmica" mundial, sendo a África o continente mais inferiorizado dentro dessa estrutura hegemônica; segundo, que mais do que física a colonização foi e continua sendo mental, razão pela qual é preciso "descolonizar as mentes". Daí o apelo África liberta-te.

Albino José Eusébio
(Sociólogo)

Gravacao : B record e Xiba Record (Moçambique)
Mistura: Amen Hill ( Xiba Record)
Master : Bandulu Dub (Dan Dada Records - Península Ibérica)
Faixas (produção instrumental):
 Introdução, Eu faco parte, Sonhos envelhecidos (Produzido por Fu Beatmaker)
 África liberta te , Origens e personalidades, Ninguém sente ( Produzido por Intelektu)
 Converso comigo, Sequelas , Kanimambo (produzido por Vulcão)
 Preso no Sistema (produzido por Mr Proto)
 Tudo pela Paz (produzido por Master Uvas)
 Hip-Hop no coração (produzido por Billy Ray)
Participações :
Eu faço parte ( ft Amen Hill),
Origens e personalidades ( ft Homoplata, Duplo Fuzzileiro , Eddie Man),
Tudo pela paz (ft Amen Hill, Blaze 5th),
Hip-Hop no Coração (ft Amen Hill).

Produção executiva : Mac Dog
Direção artistica: Fu da Siderugia
Design da Capa: Mediagenius

Release

Africa Liberta-te

Stem Player Active
Clear Queue